decaf coffee

Um estudo clínico recente publicado no British Journal of Nutrition avalia como o café descafeinado pode reduzir o risco de diabetes tipo 2.

O café, fabricado a partir de grãos de café torrados, é uma bebida popular com pressupostos benefícios para a saúde. Existem estudos que sugerem que o consumo de café está relacionado com a crescente imunidade a várias doenças. Estas vão de desordens neurológicas a doenças cardiovasculares, e até mesmo cancro. Estudos recentes analisaram como o consumo elevado de café, mais de três chávenas de café por dia, reduziu o risco de diabetes tipo 2.

Falta de estudos que investiguem os mecanismos através dos quais o café pode reduzir o risco de diabetes

O café é composto por diferentes tipos de nutrientes e existem poucos estudos que investiguem os mecanismos através dos quais os componentes do café contribuem para o risco reduzido de diabetes. Apesar de alguns estudos terem analisado tanto o café como o café descafeinado e descoberto um efeito protetor independente do conteúdo de cafeína, não é claro que a cafeína tenha algum efeito. Desta forma, um grupo de cientistas brasileiros procurou determinar se o café e o café descafeinado melhoram a sensibilidade insulínica. Fazia também parte deste estudo determinar a forma como o açúcar adicionado ao café influencia os níveis de glicose e de insulina no sangue de pessoas que consomem café. Os resultados foram recentemente publicados no British Journal of Nutrition.

Os participantes foram recrutados através de anúncios e selecionados por critérios de exclusão como a diabetes, doenças cardiovasculares e consumo de tabaco. Após a exclusão dos participantes, 17 sujeitos completaram o estudo. Estes eram do sexo masculino, entre 18 a 40 anos de idade e consumidores habituais de café. Durante um período de seis semanas cada sujeito participou em seis testes. Foi-lhes dado café com ou sem açúcar, café descafeinado com ou sem açúcar, ou água com ou sem açúcar. Um hora depois da ingestão do café, os investigadores estimaram o metabolismo da glicose através de um teste (“Oral Dose Intravenous Label Experiment”).

Efeitos do café descafeinado na sensibilidade insulínica

Surpreendentemente, os testes demonstraram que o consumo de café descafeinado, não café regular, melhorou a sensibilidade insulínica significativamente comparado com o consumo de água. Os participantes foram submetidos a um teste oral de tolerância à glicose e a análises ao sangue várias vezes até cinco horas após a ingestão de café. Com a análise aos níveis de glicose e de insulina, os investigadores descobriram que o café melhorou os níveis de resposta à insulina de forma mais eficiente que a água. Os investigadores descobriram também que o café mesmo com a adição de 30 g de açúcar, não teve quaisquer efeitos adversos no metabolismo da glicose.

Os autores do corrente estudo concluem que o café descafeinado é capaz de melhorar a sensibilidade insulínica e que o açúcar adicionado não tem impacto no metabolismo da glicose. Os resultados obtidos fazem parte da extensiva investigação já existente acerca da relação entre o café e a diabetes tipo 2. No entanto, este estudo focou-se nos efeitos a curto prazo do café. Estudos clínicos de maior duração clarificarão os potenciais benefícios do café para a saúde. Não obstante, os investigadores possuem agora uma maior compreensão dos potenciais mecanismos por trás dos benefícios do consumo de café para a saúde.

 

Escrito por Branson Chen, BHSc
Traduzido por Ângela Carvalho, PgC

Referências:

Reis CE, Paiva CL, Amato AA, Lofrano-Porto A, Wassell S, Bluck LJ, Dórea JG, da Costa TH. Decaffeinated coffee improves insulin sensitivity in healthy men. British Journal of Nutrition. 2018:1-0.

Facebook Comments

How much did this article help your understanding of this health condition?

0 1 2 3 4 5