acne light therapy

A fototerapia antiacne tem vindo a tornar-se uma forma de tratamento de acne popular. Investigadores na Singapura e no Reino Unido analisaram recentemente as provas clínicas da eficácia da fototerapia antiacne.

O acne é uma condição prevalecente que afeta quase 95% da população. Os níveis hormonais e o estado do sistema imunitário são os fatores chave para o aparecimento desta doença inflamatória. O acne é comum especialmente durante a adolescência e pode causar impactos sociais e psicológicos.

Fototerapia antiacne

A fototerapia antiacne é normalmente feita como terapia fotodinâmica (PDT) que utiliza luz e um medicamento cuja ação é ativada por este tipo de luz em particular. A teoria que suporta a fototerapia antiacne afirma que a luz penetra a pele para atingir o acne na sua origem. Teoricamente esta luz será capaz de matar a bactéria causadora do acne, Propionibacterium acnes, reduzindo assim a inflamação e as glândulas cebáceas.

Os tipos de luz mais populares utilizados na fototerapia antiacne são a luz azul e a luz vermelha que existem no espectro de luz visível. A diferença entre estes dois tipos de luz tem a ver com o comprimento da onda que por sua vez determina a profundidade a que a luz penetra na pele. A luz azul é conhecida por erradicar o P. acnes e a luz vermelha penetra na pele mais profundamente reduzindo a inflamação e as glândulas cebáceas.

Inconsistência nos estudos da fototerapia antiacne

Um estudo recente foi publicado no periódico JAMA Dermatology que analisou 71 estudos levados a cabo acerca da foterapia antiacne. Estes estudos focaram-se na terapia fotodinâmica com aminolevulinato de metila (MAL-PDT) pois esta apresentou ligeiramente mais provas de eficácia em comparação a outras terapias. Os investigadores observaram a partir de um artigo anterior acerca dos estudos existentes até então, a falta de provas clínicas acerca da eficácia de outras fototerapias antiacne. Dos 71 estudos analisados que utilizaram a MAL-PDT, apenas 5 apresentaram semelhanças a nível dos métodos utilizados para a comparação de resultados. Estes estudos demonstraram um efeito benéfico leve do creme MAL em conjunto com a luz vermelha comparado com o efeito do placebo ou da inexistência de tratamento às 6 ou 12 semanas de tratamento. Nenhuma da alterações verificadas eram clinicamente significativas.

Os autores criticaram a inconsistência dos estudos acerca da fototerapia antiacne na comunidade científica. Os métodos utilizados, o tamanho das amostras, medidas e cálculos variaram drasticamente de estudo para estudo fazendo com que a comparação ou fornecimento de dados seja muito difícil. Para além disso, os autores sugeriram períodos de acompanhamento mais longos para presenciar os efeitos da fototerapia antiacne a longo prazo. É também necessária mais investigação acerca do mecanismo biológico da terapia fotodinâmica para o tratamento do acne.

A fototerapia antiacne não é recomendada

Em suma, não existem provas científicas definitivas da eficácia da fototerapia antiacne. Com base nos resultados, a fototerapia antiacne não é uma forma de tratamento recomendada pelos investigadores. No entanto, tal pode mudar uma vez que a comunidade científica formule métodos estandardizados para a condução de estudos da fototerapia antiacne. Porquanto, não existe prejuízo em experimentar a foterapia antiacne mas talvez seja um desperdício de fundos monetários.

 

Escrito por Alena Kim, HBSc
Traduzido por Ângela Carvalho, PgC

Referências:

(1) Posadzki, P., & Car, J. (2018). Light Therapies for Acne. JAMA Dermatology, 3–5. http://doi.org/10.1001/jamadermatol.2018.0110
(2) Pei, S., Inamadar, A. C., Adya, K. A., & Tsoukas, M. M. (2015). Light-based therapies in acne treatment. Indian Dermatology Online Journal, 6(3), 145–157. http://doi.org/10.4103/2229-5178.156379

Facebook Comments

How much did this article help your understanding of this health condition?

0 1 2 3 4 5