antibiotics
Reading Time: 4 minutes

Um artigo recente publicado em Science avaliou os riscos do uso excessivo de antibióticos em bebés prematuros e ofereceu alternativas eficazes e seguras.

Os bebés prematuros, ou pré-termo, nascem várias semanas antes do tempo normal. Estes necessitam de cuidados especiais e por isso ficam internados no hospital, na unidade de cuidados intensivos neonatais (UCIN). A contração de infeções representa uma ameaça à vida de um bebé prematuro e os médicos geralmente prescrevem antibióticos para prevenir e tratar infeções. De facto, os antibióticos são os medicamentos mais utilizados na UCIN e é habitual a sua utilização em bebés prematuros mesmo quando não há indícios de uma infeção.

Nos últimos anos, médicos e investigadores têm ganho mais consciência em relação ao uso de antibióticos em bebés prematuros. Vários estudos sugerem que o uso de antibióticos em bebés prematuros pode vir a dar origem a problemas de saúde tais como asma, obesidade e doenças autoimunes.

Um artigo recente publicado na revista Science chama à atenção para a seriedade dos riscos associados ao uso de antibióticos em bebés prematuros. Este artigo revê o trabalho levado a cabo pelo neonatologista Josef Neu e o microbiologista Gautam Dantas acerca dos perigos do uso excessivo de antibióticos. Ambos defendem o uso cauteloso de antibióticos, especialmente em bebés prematuros.

O perigo dos antibióticos

Os bebés prematuros correm o risco de infeções como a septicemia e estreptococo do grupo B. Não há dúvida que os antibióticos ajudam a salvar a vida destes bebés. No entanto, a prescrição de antibióticos a todos os bebés prematuros não é a forma mais correta de tratamento.

Vários estudos comprovam que os antibióticos destroem o desenvolvimento da flora intestinal. A bactéria intestinal influencia a saúde de um indivíduo das mais variadas formas e o seu desequilíbrio está relacionado com determinadas doenças, com o estado nutricional e as capacidades do sistema imunitário.

Os investigadores descobriram que os bebés prematuros tratados com antibióticos apresentam menos espécies de bactérias intestinais em comparação com os bebés que nasceram no tempo normal de gestação. A falta de diversidade na flora intestinal dá azo a que bactérias patogénicas se instalem no trato intestinal. Para além disso, os antibióticos destroem as bactérias benéficas o que resulta num desequilíbrio a nível da flora intestinal.

Resistência a Antibióticos

Investigadores levaram a cabo estudos das sequências de ADN nas bactérias presentes nas fezes de bebés prematuros. Os resultados demonstraram que grande parte das bactérias encontradas eram similares às presentes nos hospitais. Estas bactérias eram pois resistentes aos antibióticos comummente utilizados, uma consequência muito frequente quando os antibióticos são utilizados desnecessariamente. As bactérias tornam-se resistentes aos antibióticos, sendo que a flora intestinal dos bebés prematuros transforma-se em terreno fértil para micro-organismos resistentes.

Os investigadores descobriram também que com o decorrer do tempo o uso de antibióticos pode aumentar o risco de infeções fúngicas, septicemia tardia e enterocolite necrosante, uma doença intestinal fatal.

Como evitar o uso de antibióticos em bebés

A principal responsabilidade dos médicos é a prevenção de infeções fatais por bebés prematuros vulneráveis. No entanto, o efeito dos antibióticos na flora intestinal dos bebés deve ser causa de preocupação. Os investigadores sugerem alternativas para o uso excessivo de antibióticos.

A neonatologista Karen Puoplo desenvolveu recentemente um algoritmo com base na idade de gestação, exames médicos do bebé e fatores de risco maternos para diagnosticar infeções graves num recém-nascido. Este algoritmo tem ajudado a reduzir a percentagem de bebés recém-nascidos expostos a antibióticos.

Contudo, em bebés prematuros, a forma de parto, vaginal ou por cesariana, pode ajudar a distinguir o risco elevado ou baixo de infeções, sendo que o parto por cesariana não expõe o bebé a bactérias existentes no canal vaginal. Outra forma de reduzir o uso excessivo de antibióticos é o desenvolvimento de testes de diagnose que, ao contrário da recolha de sangue, sejam capazes de detetar infeções de forma rápida e eficaz.

O desenvolvimento de bebés prematuros

Uma flora intestinal saudável é crucial para as mais diversas funções, tais como a sintetização de vitaminas e o reforço do sistema imunitário. O microbiologista Dantas acompanhou o desenvolvimento da flora intestinal de bebés prematuros depois de estes receberem alta do hospital. Dantas descobriu que os bebés que saíram do hospital com um desequilíbrio a nível da flora intestinal, foram capazes de desenvolver uma flora diversificada com o avançar dos anos. No entanto, Dantas sugere que estes bebés nunca desenvolverão uma flora tão saudável quanto a dos bebés nascidos em tempo normal de gestação.

Tal diferença poderá explicar por que o uso precoce de antibióticos está associado a determinadas doenças tais como a obesidade, asma e desordens do sistema imunitário. Para além do mais, as bactérias resistentes a antibióticos habitam o trato intestinal dos bebés recém-nascidos mesmo após receberem alta do hospital, colocando-os em risco assim como àqueles que os rodeiam.

Investigações futuras para o desenvolvimento de antibióticos adequados

Os antibióticos podem ajudar a salvar a vida de bebés prematuros mas causam também o detrimento da sua saúde. A flora intestinal é importante para um corpo saudável e vital para diversas funções. Os componentes da flora intestinal são afetados por diversos fatores genéticos e ambientais, tais como o uso de antibióticos.

A consciência acerca do impacto dos antibióticos, especialmente em bebés prematuros, pode alterar a tendência geral do uso excessivo destes medicamentos. Investigações futuras deveriam considerar a importância do desenvolvimento de antibióticos de uso seguro e eficaz para bebés prematuros.

 

Escrito por Preeti Paul, MS Bioquímica
Traduzido por Ângela Carvalho, PgC

Referências: Broadfoot, Marla. Too many antibiotics can give preemies a lifetime of ill health, Science Apr 5, 2018. https://www.sciencemag.org/news/2018/04/too-many-antibiotics-can-give-preemies-lifetime-ill-health

Facebook Comments

How much did this article help your understanding of this health condition?

0 1 2 3 4 5