chronic tension-type headaches
Reading Time: 2 minutes

Um novo estudo publicado pela Headache: The Journal of Head and Face Pain investigou a existência de uma possível correlação entre as cefaleias de tensão crónica e os níveis de Vitamina D.

Estudos e observações passadas revelaram uma possível relação entre dores crónicas e a falta de Vitamina D. Recentemente especulou-se que alguns tipos de dores de cabeça, nomeadamente enxaquecas e cefaleias de tensão, podem ocorrer em casos de deficiência desta vitamina. Investigações passadas comprovam que fatores musculares são de importância significativa no que toca à geração de cefaleias de tensão (TTH). E, de facto, a Vitamina D é de importância significativa na saúde muscular e óssea. É por esta razão que estudos epidemiológicos sugerem uma forte relação entre níveis baixos de Vitamina D e dores osteomusculares, e consequentemente, uma relação entre os níveis baixos de vitamina D e as cefaleias de tensão. Um estudo de casos controlados levado a cabo recentemente explorou este tópico com mais profundidade e através do qual foram obtidos resultados promissores para os doentes de cefaleias de tensão crónicas (CTTH).

O estudo publicado pela Headache: The Journal of Head and Face Pain teve lugar entre Fevereiro de 2015 e Outubro de 2016 numa clínica ambulatória de neurologia pertencente a um grande hospital. Neste estudo participaram cem pacientes adultos que sofrem de cefaleias de tensão crónica e cem adultos saudáveis que pertenciam ao grupo de controle. A avaliação clínica consistia em entrevistas presenciais com a ajuda de um questionário estruturado, seguido de exames físicos e neurológicos detalhados. Para além disso, todos os pacientes foram sujeitos a uma ressonância magnética (MRI) do cérebro para que fossem detetadas outras condições ou patologias anormais. Finalmente, através de análises bioquímicas foi estimado o nível de Vitamina D no soro sanguíneo dos pacientes.

Os resultados obtidos mostraram que os níveis de vitamina D eram significativamente mais baixos nos pacientes que sofriam de cefaleias de tensão crónica do que no grupo de pacientes do estudo controlado. Não só era visível uma deficiência de Vitamina D, como também a prevalência de dores osteomusculares, fraqueza muscular e sensibilidade muscular e óssea.

Os investigadores chegaram à conclusão que as cefaleias de tensão crónica estão de facto ligadas à presença de uma deficiência de Vitamina D no soro sanguíneo. No entanto, afirmam também que algumas questões inerentes ao seu estudo podem limitar a sua generalização. Por exemplo, visto que este estudo foi levado a cabo numa clínica, tal pode refletir apenas descobertas entre os casos mais graves de pacientes que sofrem desta maleita; ou como a presença de Vitamina D no soro sanguíneo varia consoante uma miríade de fatores externos, tais como a latitude, tal sugere que os resultados deste estudo podem também variar de acordo com a localização no globo.

Em geral estes resultados mostram-se promissores mas estudos de intervenção serão necessários para descobrir se a suplementação de Vitamina D ajudará os pacientes de cefaleias de tensão crónica. Devido à grande prevalência de deficiência de Vitamina D na população em geral, a investigação neste ramo poderá ter implicações na saúde pública e em resultados clínicos.

Written by Rebecca Yu
Translated by Ângela Carvalho, PgC

Referências:

Prakash, S., Rathore, C., Makwana, P., Dave, A., Joshi, H. and Parekh, H. (2017), Vitamin D Deficiency in Patients With Chronic Tension-Type Headache: A Case-Control Study. Headache: The Journal of Head and Face Pain, 57: 1096–1108. doi:10.1111/head.13096

Facebook Comments

How much did this article help your understanding of this health condition?

0 1 2 3 4 5