blueberries

Um estudo recente investiga se os mirtilos podem melhorar a saúde intestinal e aliviar sintomas de obesidade através da inversão dos efeitos de uma dieta rica em gorduras em ratos.

Uma dieta rica em gorduras afeta o corpo humano de várias formas que em conjunto com fatores ambientais e genéticos pode levar à obesidade. O aumento dos tecidos gordos está associado a um estado de inflamação crónica que por sua vez tem origem no intestino. Uma dieta rica em gorduras reduz a ação das proteínas protetoras do intestino comprometendo a integridade da barreira intestinal. A flora intestinal desempenha um papel importante no metabolismo e no sistema imune do corpo humano.

Quando a permeabilidade intestinal é afetada por uma dieta rica em gorduras, a flora intestinal fica suscetível a alterações profundas. Em conjunto, uma fraca permeabilidade intestinal e uma flora intestinal alterada causam o aparecimento de fatores pró-inflamatórios bacterianos que permitem uma resposta inflamatória. Alguns dos fatores pró-inflamatórios que surgem em resposta ao aumento dos tecidos gordos reduzem a resposta do corpo à insulina, a hormona que permite a absorção do açúcar pelas células.

Por exemplo, o LPS é um fator pró-inflamatório que causa o aumento de peso, a inflamação dos tecidos gordos e a resistência à insulina. Por esta razão, uma dieta rica em gorduras contribui para o desenvolvimento da obesidade e pode também comprometer a integridade da barreira intestinal e dar azo a uma resposta inflamatória que perpetua a obesidade causando o aumento de peso e a resistência à insulina.

Benefícios dos mirtilos para a saúde

Os mirtilos contêm antocianinas, antioxidantes e compostos anti-inflamatórios que beneficiam a saúde em geral e contribuem para a prevenção de doenças. Estudos anteriores revelaram que a inclusão de mirtilos na alimentação reduz a ação dos genes responsáveis pela resposta inflamatória e reduz o peso corporal de ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras. Concentrações altas de antocianinas, o composto que dá aos mirtilos a sua cor característica, são encontradas no intestino onde interagem com e são metabolizadas por microorganismos. Através desta interação, os mirtilos têm a capacidade de alterar a composição da flora intestinal.

Para além disso, os mirtilos têm mostrado melhorar a sensibilidade à insulina em humanos. Com base nas propriedades anti-inflamatórias das antocianinas encontradas nos mirtilos e na possibilidade destas poderem alterar a microbiótica intestinal, os investigadores mostraram interesse em determinar os efeitos dos suplementos de mirtilos em ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras a fim de reduzir os níveis de inflamação e melhorar a sensibilidade insulínica. Os resultados foram recentemente publicados no The Journal of Nutrition. Os ratos foram alimentados com uma dieta pobre em gorduras, uma dieta rica em gorduras ou uma dieta rica em gorduras com 10% de pó de mirtilos. O objetivo foi analisar se o suplemento de mirtilos pode melhorar a saúde de ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras.

Efeitos dos mirtilos naflora intestinal

Os investigadores descobriram que a flora intestinal dos ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras com suplemento de mirtilos era única, enquanto que os ratos alimentados por uma dieta pobre em gorduras e uma dieta rica em gorduras apresentaram uma flora intestinal similar. Com o suplemento de mirtilos, a proteobactéria, uma espécie bacteriana associada à saúde metabólica, aumentou significativamente. Esta alteração na flora intestinal causou vários efeitos benéficos na saúde dos ratos que consumiam uma dieta rica em gorduras.

Efeitos dos mirtilos na integridade do epitélio colunar intestinal e na inflamação

A flora intestinal dos ratos alimentados com uma dieta rica em gorduras com suplemento de mirtilos apresentou um aumento da altura das vilosidades intestinais, importante para a absorção dos nutrientes, um aumento do número de células caliciformes que protegem o epitélio colunar através da libertação de muco, e um aumento da ação dos genes que produzem tal muco.

As alterações a nível da flora intestinal causadas pela inclusão de suplementos de mirtilos na alimentação de ratos com uma dieta rica em gorduras estão relacionadas com o reforço da integridade do epitélio colunar em comparação com os ratos alimentados com uma dieta rica em gorduras sem suplemento de mirtilos. A integridade do epitélio colunar previne que compostos bacterianos inflamatórios como o LPS atravessem a barreira epitelial e entrem em circulação a fim de causarem uma resposta inflamatória. Assim sendo, os suplementos de mirtilos numa dieta rica em gorduras foram capazes de baixar os níveis de inflamação associados à obesidade para níveis característicos de ratos alimentados por uma dieta pobre em gorduras.

Efeitos dos mirtilos na sensibilidade insulínica

Uma dieta rica em gorduras associada à obesidade pode levar à resistência insulínica. Esta por sua vez causa o uso ineficiente das células de energia e pode avançar de forma rápida para diabetes tipo 2, um problema de saúde grave dos países desenvolvidos. Os ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras com suplementos de mirtilos tinham menos insulina no sangue e precisavam de menos insulina para a absorção da glicose em comparação dos ratos alimentados por uma dieta rica em gorduras sem suplementos de mirtilos. Os investigadores descobriram também que uma dieta rica em gorduras aumentou a ação do IRS1, um marcador de resistência insulínica e que os suplementos de mirtilos normalizaram os níveis do IRS1. A ação do GLP-1, um gene que melhora a secreção e sensibilidade à insulina, foi diminuída pela dieta rica em gorduras e os suplementos de mirtilos restauraram a sua ação para níveis normais. Os dados obtidos indicam que a resistência insulínica em ratos causada por uma dieta rica em gorduras pode ser revertida ou prevenida por suplementos de mirtilos.

Muitos dos sintomas que ocorrem em pacientes que sofrem de obesidade, tais como respostas inflamatórias, na realidade dão continuidade à doença e resultam num ciclo vicioso que agrava a doença e dificulta a cura dos sintomas. Este estudo demonstra que muitos dos sintomas associados com a obesidade, como o epitélio colunar intestinal delibitado, inflamação crónica e resistência insulínica podem ser controlados através de alterações a nível da flora intestinal por suplementos de mirtilos em ratos. Apesar das diferenças fisiológicas existentes entre ratos e humanos, existem pois provas promissoras para o uso de suplementos de mirtilos para melhorar a flora intestinal e minimizar os efeitos da obesidade associados a uma dieta rica em gorduras.

Escrito por Mallory Wiggans
Traduzido por Ângela Carvalho

Referências:

Lee, S. Keirsey, K.I., Kirkland, R., Grunewald, Z.I., Fischer, J.G. & de La Serre, C.B. (2018). Blueberry Supplementation Influences the Gut Microbiota, Inflammation, and Insulin Resistance in High-Fat-Diet-Fed Rats. J Nutr. 148, 209–219.

Facebook Comments

How much did this article help your understanding of this health condition?

0 1 2 3 4 5